Edir Macedo e Record são responsabilizados por promover ódio contra pessoas LGBT+ e condenados judicialmente

0

A Justiça Federal decidiu que um programa, considerado como promovendo preconceito, deverá ser removido do ar. Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, e a TV Record foram condenados pela Justiça Federal por disseminarem discurso de ódio contra indivíduos LGBT+. Um programa transmitido pela emissora do líder religioso foi considerado “homofóbico” e “preconceituoso”, sendo determinado que seja imediatamente retirado do ar. A ação civil pública foi instaurada por organizações voltadas para a defesa dos direitos das pessoas LGBT+, com o objetivo de responsabilizar Edir Macedo, que é o proprietário da TV Record, por suas declarações ofensivas. Em uma liminar concedida na segunda-feira (27), a Justiça Federal ordenou que o programa considerado prejudicial seja retirado do ar dentro de um prazo de 24 horas.


Deixe um comentário ou dica do que gostaria que pudéssemos trazer de novidade para vocês. E se curte nosso CANAL faça uma doação de qualquer valor para que possamos continuar com esse trabalho.

PIX: (11) 98321-7790
PayPal: [email protected]

TODO APOIO É IMPORTANTE.

Compartilhar.

Sobre o Autor

DEIXE UM COMENTÁRIO

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.