Hotéis do governo de Brunei deixam as redes sociais após país anunciar apedrejamento a gays

0

Agência de investimento que pertence ao sultanato é dona de nove hotéis cinco estrelas em cidades como Los Angeles e Londres

O governo de Brunei, um pequeno território no norte da Malásia, chocou o mundo na quarta-feira (3/4) com a notícia de que puniria os cidadãos com o apedrejamento até a morte por práticas como o sexo gay e o adultério. O sultão do país, Hassanal Bolkiah, que governa Brunei em um regime absolutista islâmico, anunciou que seu governo passaria a aplicar ao pé da letra a Sharia, lei fundamentalista criada ainda no século 7.

O novo código penal do país pune com apedrejamento a homossexualidade masculina e o adultério, assim como a blasfêmia e a difamação do profeta Maomé. No caso do sexo lésbico, a pena passa a ser 40 chibatadas e/ou dez anos de prisão. Também será aplicada a amputação da mão de quem roubar e a prisão para quem incentivar jovens muçulmanos a seguir outra religião.

O anúncio gerou imediatamente uma reação internacional, tanto de governos quanto de personalidades. O ator George Clooney foi um dos que se manifestaram mais veementemente, clamando por um boicote aos investimentos do sultão ao redor do mundo — que incluem vários hotéis cinco estrelas no Ocidente.

Após a rejeição demonstrada internacionalmente às novas leis de Brunei, nove hotéis que pertencem a Hassanal Bolkiah apagaram seus perfis das redes sociais, como mostra o Business Insider.

Entre eles estão empreendimentos como o The Dorchester, em Londres, The Bervely Hotel, em Los Angeles, e o Le Meurice, em Paris. Todos esses deletaram suas contas no Twitter nos últimos dias.

The Dorchester, um dos hotéis da família que comanda o sultanato de Brunei (Foto: Chris J Ratcliffe/Getty Images)

Alguns dos hotéis optaram por tornar suas contas em outras redes privadas. Foi o que fizeram o Le Meurice e o Hotel Eden, de Roma, no Instagram.

Todos eles pertencem à Dorchester Collection, um selo de hotéis de luxo que, por sua vez, é administrado pela Agência de Investimento de Brunei, diretamente ligada ao sultanato de Bolkiah.

O perfil da Dorchester Collection no Twitter ainda postou uma mensagem na rede social dizendo que é “uma empresa inclusiva e diversa” que “não tolera nenhuma forma de discriminação”. Segundo a rede, apagar os perfis dos hotéis foi uma atitude tomada devido a mensagens ofensivas dirigidas aos funcionários dos estabelecimentos. As leis aplicadas em Brunei não foram comentadas.

Com apenas 400 mil habitantes, Brunei tem o quinto maior PIB per capita do mundo, baseado na riqueza da família do sultão, que é conhecida há tempos pelas formas como esbanja seu dinheiro. Em 2015, o príncipe do país fez uma festa de casamento que durou dez dias, com direito a um vestido decorado com ouro para a noiva.

O sultão de Brunei, Hassanal Bolkiah (Foto: Suhaimi Abdullah/Getty Images)

Para o ator George Clooney, que escreveu um artigo em protesto contra a aplicação das cruéis leis no país, o boicote a qualquer serviço ou produto ligado à família que comanda o sultanato deve ser imediato. “Cada vez que nos hospedamos ou jantamos em qualquer um desses hotéis, colocaremos dinheiro diretamente nos bolsos de homens que escolheram apedrejar e chicotear até a morte seus próprios cidadãos por serem gays ou serem acusados de adultério”, comentou.

A Organização das Nações Unidas também protestou contra a medida, classificando-a como uma grave violação aos direitos humanos.

Época negócios

Compartilhar.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Athosgls 21 anos fazendo a diferença na comunidade LGBT Mundial. Marca registrada.