Câmara aprova pedido de audiência para discutir lançamento da Barbie Trans no Brasil

0

O requerimento foi feito Otoni de Paula, (MDB-RJ). Para ele, o brinquedo “servirá para confundir as crianças sobre a natureza dos gêneros”

Vitória Floro

Boneca é inspirada na atriz transexual Laverne Cox – FOTO: Reprodução / Mattel / Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Na noite de quarta-feira (1º/6), primeiro dia do Mês do Orgulho LGBTQIA+, a Câmara dos Deputados aprovou um requerimento para a realização de uma audiência pública com objetivo de debater a nova boneca lançada pela empresa Mattel.

O brinquedo é uma Barbie em homenagem à ativista e atriz transexual Laverne Cox, conhecida por papeis marcantes em obras como a série Orange Is The New Black, da Netflix.

O autor do requerimento é o vice-líder do governo na Casa, o deputado bolsonarista Otoni de Paula (MDB-RJ).

Segundo o parlamentar, a audiência deverá “debater sobre as implicações psicossociais em crianças em decorrência da versão da boneca Barbie com órgão sexual masculino”.

.

Jason Mendez / Getty Images
Laverne Cox com a Barbie inspirada nela – Jason Mendez / Getty Images

 

Na percepção de Otoni, o brinquedo “servirá para confundir as crianças sobre a natureza dos gêneros”. O deputado é pastor e integra a conhecida “bancada evangélica” do Congresso nacional, com intensa atuação nas “pautas de costumes”.

 A audiência pública sobre a Barbie deve ocorrer na Comissão de Seguridade Social e Família da Casa. O deputado planeja convocar o “presidente, ou equivalente, da Mattel no Brasil” e um membro do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

A pasta em questão é liderada por Cristiane Britto, que assumiu o comando após a saída de Damares Alves.

No pedido, o político ainda indicou que ser trans “é uma opção tardia”, afirmação que vai contra preceitos científicos e comprovações médicas de especialistas nos assuntos relacionados as questões de gênero.

O vereador Filipe Martins (PL), membro do partido do presidente Jair Bolsonaro, também discursou na Câmara de Palmas sobre o brinquedo.

“Por que vocês querem mudar o entendimento e a ordem de Deus nas nossas crianças? O que fazem ou deixam de fazer em sua maioridade são consequências de cada um. Mas não, não pode se posicionar, é questão de homofobia”, falou.

Boneca com órgãos sexuais

A alegação do requerimento feito por Otoni não condiz com a tradição de modelagem dos bonecos produzidos pela empresa.

Tanto a Barbie quanto o seu namorado Ken, não possuem representação explícita de órgãos genitais em suas anatomias.

Até mesmo na versão da Barbie gestante, os bebês não nascem pela genitália da boneca, e sim, de forma lúdica, são removidos pela barriga.

Movimentos sociais

Na internet, o assunto chamou atenção de políticos e ativistas relacionados com a causa trans. A vereadora e presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de São Paulo Erika Hilton, usou o Twitter para criticar a decisão dos parlamentares.

“É sintomático do estado em que nosso país se encontra que a primeira notícia da Câmara relacionada à transexuais no mês do orgulho LGBTQIA+ seja perseguir uma boneca Barbie trans”, escreveu.

Compartilhar.

Sobre o Autor

DEIXE UM COMENTÁRIO

Athosgls 21 anos fazendo a diferença na comunidade LGBT Mundial. Marca registrada.