Bruna Linzmeyer comparece a marcha lésbica nos Estados Unidos: “Bonito demais”

0

Bruna Linzmeyer marca presença em marcha lésbica ao lado de amigas

A atriz Bruna Linzmeyercompareceu à ‘Dyke March’, um movimento sobre a visibilidade lésbica, em São Francisco, nos Estados Unidos, no último sábado (25).

Ela publicou vários registros do evento, tanto com suas amigas quanto dos cartazes de protesto que os manifestantes presentes levavam consigo.

No Instagram, a intérprete de Madeleine na primeira fase de ‘Pantanal’ escreveu como foi a experiência de participar da marcha e como se sentiu bem durante todo o evento

“Um mar de sapatão. Ontem foi a Dyke March (marcha sapatão) de São Francisco. Eu fiquei tão emocionada, me senti tão tranquila, segura e feliz que não tenho nem mais palavras pra descrever. É isso. Bonito demais, daquelas horas que você agradece estar vivendo”, expressou.

Vários de seus seguidores aplaudiram a atriz e elogiaram a ocasião. “Que poderoso, que magnífico”, escreveu uma delas. “Você é muito necessária, obrigada por compartilhar e persevere. Sinta-se abraçada”, elogiou outra.

Confira os registros de Bruna Linzmeyer da ‘Dyke March’:

 

RELACIONAMENTOS

Bruna Linzmeyer se abriu a respeito dos seus relacionamentos e sobre a vida rodeada por mulheres, em entrevista à revista Glamour. A atriz contou que, perto dos 30 anos, está feliz, mais calma e se sente mais valorizada.

“Como as mulheres me veem. Para mim, é o aspecto mais diferente. Eu viro outra pessoa. Me sinto mais valorizada, me faz uma pessoa mais tranquila, mais engraçada, mais inteligente”, revelou.

Ela disse que gosta de quem é ao lado de mulheres: “Não só com a Marta. Mas entre amigas, ex-namoradas, ou com a comunidade sapatão mesmo. Faz muito sentido para mim quando estamos juntas”.

A artista namora a DJ Marta Supernova há dois anos e falou que sente falta de debates sobre tópicos essenciais na causa lésbica, como maternidade e saúde. Além disso abriu a discussão sobre a invisibilidade lésbica na própria comunidade LGBTQIA+.

“Nós precisamos estar nos espaços gerando e construindo narrativas, resgatando as nossas memórias. Precisamos mostrar que nós temos uma perspectiva de mundo que é singular, que é diferente de outras siglas da comunidade”, declarou.

Além disso, Bruna relatou que está animada com seus futuros projetos, como atriz e roteirista. “Me sinto cada vez mais tranquila, equipada, e tendo mais prazer em realizar o meu trabalho”, finalizou ela.

Ana Maria

Compartilhar.

Sobre o Autor

DEIXE UM COMENTÁRIO

Athosgls 21 anos fazendo a diferença na comunidade LGBT Mundial. Marca registrada.