Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Dicas
DST/AIDS
Noticias
Saúde da Mulher
Saúde do Homem

Saúde da Mulher

Outras notícias
Ginecologia - Obstetrícia - Dr. Caruso
Lésbicas podem transmitir HPV uma para a outra? Jairo Bouer responde
A saúde das mulheres lésbicas e bissexuais
Maternidade lésbica
Lésbicas e a prevenção das DST’s:

Sexo seguro entre garotas lésbicas

17/06/2005: A homossexualidade feminina é uma variante normal da heterossexualidade e existem muitas mulheres lésbicas felizes com sua orientação sexual.

A mulher lésbica poderá ser feliz. Vai depender muito da compreensão que tenha da homossexualidade e de seu equilíbrio emocional.

Os programas de prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) governamentais apresentam falhas, quanto as suas campanhas publicitárias.

As peças publicitárias não abordam de forma consistente a prevenção junto à população homossexual do país.

Uma parcela enorme de jovens gays e lésbicas não tem acesso as informações de como devem se prevenir contra as DSTs. As jovens garotas lésbicas são as mais prejudicadas e não têm acesso às informações de como se protegerem.

Com relação ao ato sexual entre mulheres deve existir uma preocupação com as DSTs, que são causadas por fungos, bactérias, protozoários e vírus e são passadas no ato sexual.

As DSTs são transmitidas entre mulheres lésbicas através da secreção vaginal, sangue, boca nas genitais, roçar das vulvas, dedos, mãos na vulva, vagina, ânus e penetração sem camisinha com brinquedos sexuais.

Caso uma mulher lésbica faça sexo com uma parceira que não é fixa e não a conhece muito bem, é necessário fazer o sexo seguro.

As dicas são:

• Esfregar a vulva na parte da parceira onde não há possibilidade de troca de fluidos corporais;

• Utilizar luva cirúrgica, camisinha masculina ou dedeira na penetração para proteger dedos e mãos;

• Unhas sempre bem aparadas e limpas para evitar cortes e arranhões;

• Caso utilize brinquedos sexuais ou consolos utilizar a camisinha;

• Caso compartilhe da brincadeira com a parceira, utilizando consolos, trocar sempre a camisinha;

• Nunca penetrar a vagina e o ânus com a mesma camisinha, é necessário trocar.


Para fazer sexo oral na vagina é necessário:

• Utilizar camisinha masculina ou feminina cortada para adaptar melhor, ou usar o Dental Dam , quadrado de látex, encontrado em lojas de material para dentista que se adapta muito bem ao sexo oral.
Para melhor comodidade utilizar camisinha sem lubrificante;

• Caso use lubrificante para penetração vaginal ou anal, utilize-o à base de água, vendido em farmácias;

• Caso a parceira seja fixa é necessário que ambas visitem regularmente o ginecologista para checar como anda a saúde e fazer exames de rotina;

• Corrimento amarelo, esverdeado, branco e viscoso, mal cheiroso é sinal de não saúde. Bem como vermelhidão, verrugas nos genitais, feridinhas e coceiras;

• No ato de urinar se sentir muito ardor é um sinal de que deve haver algum problema com sua saúde.



Cuide-se e evite futuros problemas que podem comprometer sua saúde sexual e da sua parceira. Neste meu site existe uma relação de médicos(as) ginecologistas que eu indico na seção Sites Amigos na Categoria Médicos e/ou Serviços Especializados em Saúde. Procure um destes profissionais e faça seus exames periódicos.


 

Site: http://www.mixtoquente.com.br

Comente esta matéria
Título: Sexo seguro entre garotas lésbicas
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
26/06/2013 16:46: mary - SP
adoruuuu