Nova série animada de She-Ra terá princesas lésbicas

0

A nova série animada da heroína dos anos 1980 She-Ra vai refletir a diversidade do século 21. Em entrevista ao site Den of Geek, a produtora Noelle Stevenson (roteirista de “Enrolados Outra Vez” e “Lego Star Wars”), responsável por “She-Ra e as Princesas do Poder”, confirmou o que os trailers sugeriam: a inclusão de princesas lésbicas.

“Como uma mulher lésbica, é algo que eu sempre achei importante mostrar em uma animação para crianças. Justamente para mostrar a riqueza de experiências no mundo e as maneiras diferentes que os personagens se amam. É algo que eu espero que seja uma parte natural e muito própria da série”, afirmou Stevenson.

O site revela que as princesas Netossa e Spinnerella terão uma relação afetiva bastante íntima. E não serão as únicos personagens queers da série.

Stevenson credita os que lutaram por maior representativa antes dela em outras séries e animações por “She-Ra e as Princesas do Poder” ser capaz de apresentar vários personagens queer, mas enfatiza que “nunca será fácil … mas é algo muito importante a ser feito”.

A presença de personagens LGBTs em produções infantis costuma vir sempre acompanhada de polêmica, mas, nos últimos anos, séries como “Steven Universo” e “The Loud House” têm ajudado a abrir caminho para quebrar esse tabu.

De todo modo, vale lembrar que a série de Stevenson já foi alvo de controvérsia por um motivo muito menos contundente. Quando suas primeiras imagens foram reveladas, fãs do desenho original reclamaram do visual da heroína, bastante modificado em relação à versão dos anos 1980. Menos que a aparência de anime, o que chamou atenção foi a dessexualização da personagem, com diminuição do tamanho de seus seios e a inclusão de shorts sob sua saia curta.

Para quem é muito jovem para lembrar, o desenho de “She-Ra: A Princesa do Poder” surgiu em 1985 como spin-off de “He-Man e os Mestres do Universo”, um brinquedo que virou série animada, e logo se tornou mais popular que a atração original. A personagem era o alter ego da Princesa Adora, irmã gêmea do He-Man, que lutava pela honra de Greyskull para livrar o planeta Eternia da tirania.

A nova versão não tem He-Man, mas um monte de princesas aliadas, e é descrita como “uma jornada épica e atemporal, em celebração à amizade feminina e ao empoderamento, liderada por uma princesa guerreira feita sob medida para os dias de hoje”, segundo a descrição oficial. Nota-se, pela coleção de Princesas, uma proposta de diversidade e inclusão, por meio de sua representação com cores, alturas, larguras e sexualidades diferentes.

A produção traz em seu elenco de dubladores diversos atores conhecidos, a começar por Aimee Carrero (de “O Último Caçador de Bruxas” e a voz de “Elena de Avalor”), que vive She-Ra, além de Karen Fukuhara (“Esquadrão Suicida”), AJ Michalka (“The Goldbergs”), Marcus Scribner (“Black-ish”), Reshma Shetty (“Royal Pains”), Lorraine Toussaint (“Orange Is the New Black”), Keston John (“The Good Place”), Lauren Ash (“Superstore”), Christine Woods (“Hello Ladies”), Genesis Rodriguez (“Time After Time”), Jordan Fisher (“Grease Live!”), Vella Lovell (“Crazy Ex-Girlfriend”), Merit Leighton (“Alexa & Katie”), Sandra Oh (“Killing Eve”) e Krystal Joy Brown (“Motown: The Musical”).

A atração estreia na Netflix na terça (13/11), mas curiosamente não está sendo muito promovida pela plataforma. Quem tem divulgado os trailers é sua produtora, a DreamWorks Animation.

 

Pipoca Moderna

Compartilhar.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of