Sábado, 21 de Outubro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
AccorHotels ativa rúgbi com treino aberto de time LGBT
Narcos: terceira temporada revela história de traficante gay
Roteiro gay por Paris
Finn e Poe vão se assumir gays em ‘Star Wars’? John Boyega responde!
Homossexualidade? "Asquerosa", diz ministro dos Direitos Humanos

Membro de partido ultraortodoxo renuncia a cargo por ter ido a casamento gay

19/09/2017:

 o ex-membro do Shas, Ygal Guetta

 

O legislador teria cedido a pressão de seus colegas religiosos e rabinos do partido ultraconservador Shas

 

Jerusalém - Um legislador ultraortodoxo israelense renunciou ao cargo nesta quarta-feira, após pressões de seus colegas religiosos e de rabinos por ter comparecido ao casamento de um parente gay, informou sua filha.

 

Yigal Guetta, membro do partido ultraconservador e religioso Shas, disse recentemente em uma entrevista a uma rádio que há dois anos compareceu ao casamento de um sobrinho gay, o que provocou uma forte reação de rabinos, segundo meios de comunicação locais.

Nesta quarta-feira de manhã, Guetta apresentou sua renúncia ao presidente do partido, o atual ministro do Interior, Aryeh Deri.  Sua filha, Simcha, afirmou que está orgulhosa do pai por sua lealdade familiar. "É o sobrinho dele!", disse à rádio pública israelense.  Yitzhak Vaknin, membro do Shas, disse que Guetta violou as leis religiosas ao participar de uma cerimônia que é proibida, a do casamento homossexual. 

"Não existe nenhuma situação em que seja permitido participar de um evento como esse", disse à rádio do exército. "É totalmente proibido".

Na entrevista, realizada em 29 de agosto e que provocou críticas, Guetta disse que, embora quisesse estar ao lado do seu sobrinho, deixou claro para seus filhos que o estilo de vida dele era um tabu. 

"Nós fomos juntos para o casamento, eu, minha esposa e meus filhos", disse ele. "Eu disse a eles: 'o comparecimento é obrigatório'. Ao mesmo tempo, eu disse aos meus filhos, estejam cientes de que a Torá diz que isso é proibido", acrescentou.

Enquanto o estado judeu é considerado pioneiro na promoção e no respeito aos direitos dos gays, a homossexualidade continua sendo um tabu entre os partidos religiosos e ultraortodoxos, que exercem um poder político significativo.

 

 

http://odia.ig.com.br/mundoeciencia/2017-09-13/membro-de-partido-ultraortodoxo-renuncia-a-cargo-por-ter-ido-a-casamento-gay.html

 

 

 

Comente esta matéria
Título: Membro de partido ultraortodoxo renuncia a cargo por ter ido a casamento gay
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.