Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
Alemanha registra aumento de ataques contra homossexuais
Katie Sowers se torna primeira treinadora abertamente homossexual da NFL
CCJ pode votar direito de transexual à mudança de nome e sexo em documento
População LGBT e Direitos Humanos serão tema de encontro em Içara
Graça Fonseca considera “importante” assumir homossexualidade

Homofobia na Nigéria: Polícia prende ativistas LGBT

08/08/2017:

 A Nigéria é o segundo país africano com mais casos de pessoas infectadas pelo HIV/SIDA e onde se estima haver 3.5 milhões de pessoas infetadas

 

A polícia da Nigéria prendeu 42 ativistas LGBT quando estavam a preparar uma sessão pública de esclarecimento sobre HIV-Sida no hotel Weigh Bridge, nos arredores da capital, Lagos. Uma petição está a ser divulgada na internet a exigir a libertação de todos os ativistas.

 

A denuncia está a ser feita pelo ativista LGBT nigeriano Bisi Alimi, que está a chamar a atenção da comunidade internacional para a detenção de 42 ativistas LGBT na Nigéria acusados por atos homossexuais. Segundo o jornal nigeriano Punch, o porta-voz da polícia de Lagos confirmou aos jornalistas a detenção, não adiantando mais detalhes enquanto a investigação prossegue.

Os ativistas foram detidos pela polícia nigeriana numa sessão de esclarecimento e formação que estavam a organizar nos arredores da cidade de Lagos, com o objetivo de discutirem a prevenção de comportamentos e riscos relacionados com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) e o síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA). A Nigéria é o segundo país africano com mais casos de pessoas infectadas pelo HIV/SIDA e onde se estima haver 3.5 milhões de pessoas infetadas.

As razões que levaram à prisão destes ativistas estão ainda por esclarecer e, segundo Bisi Alimi, “estão detidos em condições terríveis, sem acesso a comida, enquanto aguardam o julgamento”.

Há uma petição online (link is external) endereçada ao Ministro da Justiça da Nigéria, Abubakar Malami, para retirar as acusações por "atos homossexuais" e que liberte os ativistas detidos de imediato.

“eventos como estes, organizados por esses homens são essenciais, eles salvam vidas num país que nega o acesso a drogas e tratamento para homens homossexuais infetados com o vírus HIV-Sida”

Bisi Alimi, ativista nigeriano que luta pelos direitos LGBT que teve de abandonar o país quando assumiu a homossexualidade, refere que, “eventos como estes, organizados por esses homens são essenciais, eles salvam vidas num país que nega o acesso a drogas e tratamento para homens homossexuais infetados com o vírus HIV-Sida”.

Bisi declarou ainda que este tipo de sessões são organizadas de forma informal para suprimir o “falhanço do Governo e das entidades públicas em fornecer educação e testes de HIV-Sida às pessoas de forma a evitar futuros casos de propagação da doença”.

Bisi Alimi afirma que é importante a mobilização da comunidade internacional para "garantir a libertação dos ativistas e exigir que todas as acusações contra eles sejam descartadas”.

A homossexualidade na Nigéria é probída por lei e a moldura penal  pode chegar aos 14 anos de cadeia segundo o código penal atual. São vários os relatos de perseguição e violência da polícia e das entidades do Estado da Nigéria à comunidade LGBT.

 
 
 
http://www.esquerda.net/artigo/homofobia-na-nigeria-policia-prende-ativistas-lgbt/50136

 

 

Comente esta matéria
Título: Homofobia na Nigéria: Polícia prende ativistas LGBT
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.