Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
STF vota fim da proibição de doação de sangue por homossexuais
Jovem é agredido e ameaçado de morte, em festa, por ser homossexual
Dragon Ball Super: Elenco fala sobre possibilidade de Whis e Bills serem gays
Doação de sangue e o Supremo: saúde e igualdade
Frota perde ação, diz que juiz é do movimento gay e “julgou com a bunda”

Tribunal islâmico na Indonésia condena casal homossexual a castigo público

18/05/2017:

 

Um tribunal islâmico, que aplica a lei da 'sharia' na província indonésia de Aceh, condenou hoje, pela primeira vez, dois homossexuais a serem punidos com chicotadas públicas.

O tribunal disse que os homens, com idades entre os 20 e os 23, serão sujeitos a 85 chicotadas, cada um, por manterem relações sexuais. A acusação tinha pedido 80 chicotadas.

Os dois homens foram detidos no final de março, na sequência das suspeitas de 'vigilantes' na capital provincial de Banda Aceh, que decidiram tentar apanhar o casal a ter relações sexuais.

Organizações internacionais de direitos humanos descreveram o tratamento dos homens como degradante e humilhante e pediram a libertação imediata.

Aceh é a única província na Indonésia que aplica a 'sharia', uma concessão feita por Jacarta, em 2006, para pôr fim a um ano de guerra com separatistas.

 

 

 

http://www.dn.pt/lusa/interior/tribunal-islamico-na-indonesia-condena-casal-homossexual-a-castigo-publico-8481917.html

 

Comente esta matéria
Título: Tribunal islâmico na Indonésia condena casal homossexual a castigo público
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.