Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
OAB vai ajudar Conselho de Psicologia em recurso contra 'cura gay'
Cartilha de pediatras orienta sobre transtornos de gênero
Empresa lança plataforma de educação sexual para jovens
Demi Lovato e Tove Lo se manifestam contra 'cura gay' no Brasil
CNJ é acionado contra liberação da ‘cura gay’

ONG acusam Chechénia de genocídio em queixa ao TPI por perseguição a homossexuai

16/05/2017:

 

Três organizações francesas apresentaram hoje queixa no Tribunal Penal Internacional (TPI) contra o presidente da Chechénia, Ramzan Kadyrov, por perseguições aos homossexuais naquela república russa, anunciaram os advogados.

Kadyrov é "o profissional" do "genocídio", "o organizador de campos de torturas com intenção de extermínio dos homossexuais", explicou Etienne Deshoulières, que representa as associações "Stop Homophobie", "Mousse" e "Comité Idaho France".

Na Chechénia, república russa de maioria muçulmana, a homossexualidade é um tabu.

Segundo o semanário Novaia Gazeta, as autoridades chechenas detiveram nos últimos meses centenas de homossexuais e encorajaram as famílias a matá-los para "limpar a honra".

Ainda segundo este jornal, independente, pelo menos duas pessoas foram assassinadas por familiares e uma terceira morreu depois de ter sido sujeita a tortura.

Homossexuais chechenos que fugiram para Moscovo contaram por seu turno à imprensa terem sido espancados e detidos "numa prisão não-oficial", vivendo com medo de serem identificados e localizados pela família.

"Estes atos não são ações de grupos isolados, mas obra das autoridades chechenas, sob a direção do seu presidente, Ramzan Kadyrov", afirmam na queixa as organizações não--governamentais de defesa dos direitos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero).

Convocado pelo presidente russo, Vladimir Putin, Kadyrov negou quaisquer abusos contra os homossexuais, qualificando as notícias de "provocações". Um seu porta-voz afirmou por outro lado que "não existem" homossexuais na Chechénia.

A justiça russa abriu, todavia, um inquérito, mas fontes da investigação afirmam não ter recebido "nenhuma queixa oficial" de vítimas.

A Rússia comunicou em novembro de 2016 a sua retirada do TPI, a qual, segundo os estatutos fundadores da instância, se torna efetiva um ano depois, ou seja, em novembro próximo.

O TPI só pode julgar um caso se os acusados não puderem ser julgados pelas respetivas autoridades nacionais, seja porque o Estado em causa não quer, seja porque não tem capacidade.

 

 

http://www.dn.pt/lusa/interior/ong-acusam-chechenia-de-genocidio-em-queixa-ao-tpi-por-perseguicao-a-homossexuais-8479637.html

 

 

Comente esta matéria
Título: ONG acusam Chechénia de genocídio em queixa ao TPI por perseguição a homossexuai
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.