Segunda-feira, 24 de Abril de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
Você sabe o que faz um coaching gay? Então vem descobrir
Repressão e violência: a perseguição dos gays na Chechênia
Rock Story Novela das sete terá romance gay entre mulheres
Parada LGBT terá mudanças para reaproximar público
Mais de 50 homens acusados de organizar casamento gay na Nigéria

Ian McKellen ironiza polêmica em torno de A Bela e a Fera: uma extravagância gay

16/03/2017:

Por Vitória Pratini

 

O "momento gay" foi cortado para que o filme seja exibido na Malásia, mas a estreia no país foi adiada por tempo indeterminado.

 

A Bela e a Fera entrou para a história ao incluir, de forma sutil, seu primeiro personagem LGBTQ em um filme sobre uma princesa da Disney. Desde que o diretor Bill Condon fez o anúncio de que LeFou (Josh Gad) teria um "momento gay" e nutriria sentimentos pelo vilão Gaston (Luke Evans), o live-action baseado na animação homônima se tornou alvo de controvérsias.

A protagonista Emma Watson já havia comentado o assunto, exaltando a sutileza da abordagem das cenas. Ian McKellen, que interpreta Horloge, também se pronunciou. O ator, que é homossexual e ativista da causa LGBTQ, ironizou a polêmica, no palco durante a premiere novaiorquina de A Bela e a Fera, na última segunda-feira (13).

Relembrando que já havia trabalhado com Bill Condon em Deuses e Monstros, drama de 1998 sobre o cineasta homossexual James Whale, McKellen brincou que A Bela e a Fera marca "outra extravagância gay" para Condon. De acordo com a Variety, a fala arrancou risos e aplausos do público presente na estreia.

LeFou e Gaston.


Entretanto, mesmo que a sexualidade de LeFou não seja abertamente revelada na produção – ele fica confuso sobre seus sentimentos em relação a Gaston e tem uma breve cena de dança com outro homem – o filme não tem sido bem recebido em alguns lugares do mundo. A Rússia, por exemplo, proibiu a exibição da produção para menores de idade justamente por causa do personagem gay.

Já na Malasia, a estreia de A Bela e a Fera foi adiada indefinidamente, mesmo depois que a censura oficial aprovou o lançamento do filme, desde que o cena homossexual fosse cortada.

"Nós aprovamos, mas há um pequeno corte envolvendo um momento gay", disse o Presidente da Câmara de Censura de Filmes Abdul Hamid à Associated Press (via Times). "É apenas uma cena curta, mas é inadequada porque muitas crianças estarão assistindo a este filme." Ele ainda afirmou que a Disney não entrou com recurso sobre a decisão de cortar a sequência gay. Ainda assim, as duas principais cadeias de cinema da Malásia adiaram a estreia do live-action por tempo indeterminado e não deram uma razão para isso.

No Brasil, A Bela e a Fera chegará aos cinemas na próxima quinta-feira (16).

 

 

http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-129458/

 

 

Comente esta matéria
Título: Ian McKellen ironiza polêmica em torno de A Bela e a Fera: uma extravagância gay
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.