Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
Mundo ergue cerco às pseudoterapias por ‘cura gay’
‘Cura gay’: o que de fato disse o juiz que causou uma onda de indignação
Contra Cura Gay, movimento LGBT marca protestos em várias capitais do País
Por que considerar a homossexualidade um distúrbio é errado
Cura gay não existe, diz ex-pastor que saiu do armário

Casal gay é indenizado por ter sido agredido

05/03/2015:

 

Ludmila Silveira

 

Talitha Andrade, artista visual: 'Estava desanimada. O resultado me surpreendeu'

Vinte e cinco mil, novecentos e noventa e seis reais é o valor da indenização que deverá ser paga às duas jovens que foram agredidas fisicamente, em 2013, por um segurança do curso de idiomas Acbeu, na Vitória. A quantia será dividida entre elas.

 

A decisão foi proferida na quarta-feira, 4, em audiência no Fórum das Turmas Recursais, no  Imbuí, atendendo à solicitação de indenização por danos morais.

A agressão aconteceu durante uma exposição na galeria do curso. A atriz Roberta Nascimento, 28, e a artista visual Talitha Andrade, 31 - que são namoradas -, teriam sido impedidas pelo segurança de entrar no sanitário feminino.

 

 

Em 2013, manifestantes protestaram contra a agressão na frente da Acbeu (Fernando Vivas l Ag. A TARDE)

A justificativa dele seria o fim do evento. Contudo, as jovens alegaram que outras mulheres haviam sido liberadas para usar o banheiro. Elas discutiram com o agressor e Roberta teve o rosto desfigurado por conta de um soco desferido por ele.

 

Durante a sessão, a atriz ficou emocionada ao relembrar o episódio. "Parece que vivi tudo novamente, mas estou aliviada. A justiça foi feita", desabafou.

Ela e a namorada saíram aplaudidas da sala. "Estava desanimada por conta da primeira sentença. O resultado de hoje (quarta-feira) me surpreendeu", disse Talitha.

 

Os desembargadores da 3ª turma recursal chegaram a ponderar que a agressão havia ocorrido por preconceito. Porém não constava nos autos nenhuma prova de que o caso tenha sido motivado por homofobia.

A advogada das jovens, Alessandra Sena, afirmou que, embora a questão da homofobia não tenha sido provada, o objetivo de reconhecer os danos morais sofridos por Roberta e Talitha foi alcançado.

A reportagem de A TARDE entrou em contato com a Acbeu, mas foi informada de que a assessoria de comunicação desconhecia o desfecho do caso. Um funcionário da instituição sugeriu que a reportagem volte a tentar novo contato hoje para obter um possível posicionamento.

 

Incentivo

"Foi uma vitória para o nosso grupo. A justiça tarda mas não falha", comemorou Sandra Muñoz,  diretora de saúde do Movimento de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia.

Ela acompanhou o caso e torce para que a história de Roberta e Talitha sirva de exemplo para outras mulheres. "O ganho desta causa vai incentivar outras pessoas que já passaram por situações semelhantes e não acreditam que terão seus direitos garantidos".

 

Sandra disse, ainda, que a sentença decretada foi justa e que o olhar dos desembargadores (que votaram com unanimidade) sobre o caso - por  abordar a questão do preconceito contra relações homoafetivas - pode significar um pequeno avanço na sociedade.

 

 

Fonte: http://atarde.uol.com.br

Comente esta matéria
Título: Casal gay é indenizado por ter sido agredido
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.