S�bado, 20 de Abril de 2019
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Anuncie AQUI
Celebridades GLBT
ClicRN
Estadão
Folha on Line
Istoé
Jornal da Paraíba
Paradas gays - News
Portal de Picos
Portal Terra
Saúde
Ultimas Notícias
Outras notícias
STF vota fim da proibição de doação de sangue por homossexuais
Jovem é agredido e ameaçado de morte, em festa, por ser homossexual
Dragon Ball Super: Elenco fala sobre possibilidade de Whis e Bills serem gays
Doação de sangue e o Supremo: saúde e igualdade
Frota perde ação, diz que juiz é do movimento gay e “julgou com a bunda”

A Day Without a Gay: um dia sem gays

25/11/2008:

 

Wálter Fanganiello Maierovitch

O dia 10 de dezembro próximo não será dedicado apenas à indicação, em Oslo, do vencedor do Nobel da Paz. Também não se resumirá ao International Human Rights Day das Nações Unidas. Nos EUA, teremos uma Jornada sem os Gays, ou melhor, A Day Without a Gay.

Os gays, de ambos os sexos, não irão ao trabalho, às escolas e às universidades. Também não sairão em passeio pelas ruas e não partirão para o consumo nos centros comerciais. O dia será dedicado a tarefas humanitárias.

A fórmula escolhida não é nova. Há dois anos foi usada com sucesso por imigrantes. Discriminados e explorados, eles pararam um dia e a economia americana sentiu o sobressalto.

Não vejo no A Day Without a Gay um mero protesto em face dos resultados dos referendos de 4 de novembro último, onde, na Califórnia, Flórida e Arizona, a maioria foi contrária à união formal de casais gays. Mais ainda, em Arkansas, pelo referendo, venceu a corrente que não aceita a adoção de crianças por gays.

No chamado A Day Without a Gay já existem os que afirmam tratar-se de deliberação ilegítima, em razão de democráticos referendos. A deliberação não é ilegítima. Ela significa uma chamada às consciências, pela igualdade de direitos, num país que acaba de eleger um afro-americano, mas que já proibiu casamento entre casais de sexos e peles de cores diferentes.

Os referendos supracitados ocorreram junto com a votação para presidente dos EUA. E poucos meses antes, a Corte Suprema da Califórnia havia legalizado a união formal de gays.

Os líderes dos grupos de defesa dos direitos dos homossexuais tributam o resultado dos referendos à comunidade afro-americana. Segundo eles, 70% da comunidade afro-americana, --que elegeu Obama, votou com os mórmons e os católicos para derrubar a união formal entre gays.

PANO RÁPIDO. O brasileiro que quiser dar uma força à distância, mesmo não sendo gay, é só acessar o site
www.daywithoutagay.org

Carta Capital

 

Comente esta matéria
Título: A Day Without a Gay: um dia sem gays
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.