Grupo Tapa apresenta as peças 12 Homens e Uma Sentença e A cantora Careca no TUSP a partir de 15 de novembro

0

Fotos 12 Homens e Uma Sentença – http://bit.ly/2DxwJsR

De 15 de novembro a 16 de dezembro o TUSP, teatro da USP localizado na Rua Maria Antônia, recebe o Grupo Tapa para temporada de dois espetáculos de seu repertório, dirigidos por Eduardo Tolentino de Araujo. O premiado 12 Homens e uma Sentença será apresentado, de quinta a domingo, com sessões às quintas, sextas e sábados, às 21h e domingos, às 20h30.  E a peça A Cantora Careca entra em curta temporada a partir de 24 de novembro, com sessões aos sábados, às 19h e domingos, às 18h.

Há 8 anos em cartaz, com mais de 600 mil espectadores, Prêmio APCA de melhor espetáculo e com duas indicações ao Prêmio Shell, 12 Homens e uma Sentença é baseado na trama de um dos melhores filmes de tribunal da história 12 Angry Men, EUA, 1957, de Sidney Lumet.

Com texto de Reginald Rose e tradução de Ivo Barroso e encenação de Eduardo Tolentino de Araujo, a montagem traz Bruno Barchesi (no papel interpretado nas telas por Henry Fonda, o jurado n. 8) e Sergio Mastropasqua (personagem vivido por Lee J. Cobb no cinema). Adriano Bedin, Alan Foster, Ariel Cannal, Caetano O’Maihlan, Eduardo Reyes, Fulvio Filho, Ricardo Aguiar, Leandro Mazzini, Luiz Antonio Motta e Rafael Golombek completam a seleção de atores.

O calor escaldante do verão de Nova York faz o suor pingar do rosto dos 12 homens trancados a chave numa pequena e claustrofóbica “sala de júri”. Depois de dias de julgamento, eles precisam decidir a sorte do réu. O mais importante: o veredicto precisa ser unânime. Se os 12 enclausurados jurados considerarem o réu culpado do assassinato do próprio pai, ele será executado, mas se um deles tiver uma dúvida razoável a respeito da culpabilidade, o garoto não poderá ser condenado.

Para o diretor Eduardo Tolentino, o desafio de transpor o filme para os palcos está no trabalho de atores. “Trata-se de algo que envolve ideias e discussões, por isso é importante saber como tornar isso ao mesmo tempo atraente e impactante, como no filme. Precisamos estruturar a montagem para que vá além da fala e esteja tanto no corpo dos atores como no palco.”

Com dramaturgia elaborada numa escala gradual de unidades dramáticas, o texto vai envolvendo o espectador na medida em que a história vai sendo contada. Doze atores em cena o tempo todo, a peça cria um fascinante embate, que culmina em um prazeroso desfile de uma amostra da sociedade.

A Cantora Careca é considerada a primeira obra da corrente batizada Teatro do Absurdo. Escrito em 1949 pelo francês Eugène Ionesco (1909 – 1994), o texto é irônico, com diálogos absurdos que levam a total impossibilidade de comunicação entre os seis personagens. Em uma das cenas mais conhecidas dois estranhos conversam sobre a vida, onde moram, filhos e por fim descobrem que são casados. No elenco estão Brian Penido Ross, Clara Carvalho, Emília Rey, Guilherme Sant’Anna, Mariana Muniz, Riba Carlovich.

A peça estreou no Festival Que Absurdo!, no primeiro semestre, e rendeu a indicação ao prêmio Aplauso Brasil de melhor ator coadjuvante para Guilherme Sant’Anna.

Serviço:

DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA

De 15 de novembro a 16 de dezembro – quintas, sextas e sábados, às 21h; domingos 20h30. Ingressos: R$ 40 inteira / R$ 20 meia.

Classificação: 12 anos. Duração: 100 minutos. Gênero: Drama.

Ficha técnica:

Texto: Reginald Rose. Direção: Eduardo Tolentino de Araujo. Figurinos: Lola Tolentino. Elenco: Adriano Bedin, Alan Foster, Ariel Cannal, Bruno Barchesi, Caetano O’Maihlan, Eduardo Reyes, Fúlvio Filho, Ricardo Aguiar, Leandro Mazzini, Luiz Antonio Motta, Rafael Golombek e Sérgio Mastropasqua. Produção Geral: Ariel Cannal. Fotografias: Ronaldo Gutierrez.

A CANTORA CARECA

De 24 de novembro a 16 de dezembro – sábados, às 19h; domingos 18h. Ingressos: R$ 30 inteira / R$ 15 meia.

Classificação: 12 anos. Duração: 60 minutos. Gênero: Comédia.

Ficha técnica:

Texto: Eugène Ionesco. Direção: Eduardo Tolentino de Araujo. Iluminação: Nelson Ferreira. Elenco: Brian Penido Ross, Clara Carvalho, Emília Rey, Guilherme Sant’Anna, Mariana Muniz, Riba Carlovich. Produção Geral: Ariel Cannal.

TUSP – Teatro da USP

R. Maria Antônia, 294 – Vila Buarque, São Paulo – SP, 01222-010 Telefone (11) 3123-5222
Bilheteria abre uma hora antes do início da sessão. Capacidade: 100 lugares.

Formas de pagamento: Débito / Dinheiro.

Informações para imprensa:

Adriana Balsanelli

Compartilhar.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of