Sexta-feira, 28 de Julho de 2017
Adicionar a Favoritos RSS Facebook Linkedin Twitter Wordpress
   
Selecione abaixo:



Celebridades LGBT
Filmes/Séries LGBT
Garotas x Garotas
Jurídico
Notícias / artigos LGBT
Pais e Filhos LGBT
Religião
Travestis e Trans
Ultimas Notícias
Videos Lés

Pais e Filhos LGBT

Outras notícias
A Família Homoparental um modelo possível
Casais gays ganham direito ao uso de fertilização in vitro
Decisão do STJ sobre adoção por casal homoafetivo
Casal gay é autorizado a adotar filho
Exposição itinerante retrata mães que lutam contra homofobia no Rio

Tas comenta relação com a filha homossexual

09/06/2012:

 

Em abril do ano passado, Marcelo Tas expôs a orientação sexual de sua filha, em rede nacional, em resposta às declarações homofóbicas do deputado federal Jair Bolsonaro. O apresentador foi extremamente elogiado por quebrar as barreiras e mostrar um grande orgulho por Luiza, que hoje está com 23 anos.



Segundo ele, a revelação da homossexualidade veio em uma conversa com a própria filha, que na adolescência seguiu uma tendência dos amigos da escola e passou a ficar tanto com meninos quanto com meninas. “Eu fui conversar com o diretor e, para me tranquilizar, ele contou que isso era normal”, explicou.


Luiza é fruto do primeiro casamento de Tas, que também tem Miguel, 10 anos, e Clarice, 6 anos, com Bel, a sua atual mulher. “Para os meus filhos, essa situação é a coisa mais normal do mundo, eles estão crescendo sem preconceito”, afirmou.

Quando a Luiza te falou que era homossexual?
Foi na adolescência, enquanto ela estava no colégio. Devia ter uns 16 anos.

Como você reagiu à notícia?
É sempre uma coisa que te deixa surpreso, mas a primeira coisa que eu fiz foi compartilhar isso com amigos, com a minha ex-mulher, mãe dela, e com a minha atual mulher. A segunda coisa foi ir até a escola conversar com o diretor e com orientadores.

Ela sofreu preconceito na escola?
Não, eu só quis saber como essa situação estava sendo levada pelos educadores e se aquilo tinha atrapalhado o desempenho dela. Claro que eu falei com ela se eu poderia conversar com o diretor, e ela achou ótimo! A minha surpresa foi descobrir que isso era algo muito comum na escola. Nessa idade rola muita coisa. Ela ficava com garotas e garotos, e isso acontecia com a maioria dos alunos.


E a sua família, como lidou?
O meu temperamento é tranquilo. Eu não consigo viver uma coisa pela metade. Na minha família houve quem ficasse mais chocado, mas eu conversei sobre isso de maneira muito direta. Tiveram outros casos na família que também são homossexuais e ficaram mais tranquilas em assumir. Eu ajudei a abrir essa porta. (risos)


Como é a sua relação com os seus três filhos?
Eu tenho uma proximidade muito grande com eles, que se sentem à vontade para dividir as coisas comigo. E eu sou um ótimo ouvido.

E mesmo separado da mãe da Luiza, você continuou presente na vida dela?
Sim, muito. A relação pai e filho tem que ser contínua. A proximidade depende do temperamento das pessoas. Eu não acho que o pai tem que ser totalmente próximo e saber tudo o que acontece com o filho, porque isso às vezes só vira uma polícia.


Tem muito pai que passa a temporada da infância mais próxima dos filhos e depois se distancia achando que estão criados. Aí quando o filho se mete numa roubada, o pai fica surpreso porque o filho está consumindo drogas ou envolvido com algo não muito bacana. Você tem que sair com eles, convidar para jantar, cultivar e manter uma conexão. Não adianta só ter o cargo “pai”.

A Luiza já te apresentou namoradas?
Sim, claro. A atual namorada da Lu é muito próxima de nós, fica lá em casa com a família... Ela é americana, pretende vir morar no Brasil, e as duas estão cheias de planos. Para os meus filhos pequenos, é a coisa mais normal do mundo. A Clarissa, de 6 anos, fala sobre isso com a maior naturalidade do mundo. Eles crescem sem preconceito.

 

BAND - CQC

 

Comente esta matéria
Título: Tas comenta relação com a filha homossexual
Seu nome:
Seu Estado:
Seu e-mail:
Comentário:
Segurança: Confirme o código:
OBS.: Nos reservamos o direito de deletar toda e qualquer mensagem contendo palavões, baixarias ou até mesmo termos homofóbicos. Favor respeitar as devidas fontes de cada matéria.
Comentários
Não há comentários.